Santo

Conhecido também como Dom Bosco, é o fundador da ordem dos Salesianos e mestre de São Domingos Sávio. Nasceu em 1815, em Becchi, Piedment na Itália e começou seus estudos para se tornar sacerdote aos 16 anos, recebendo a ordenação em 1841. Enviado para Valdocco, subúrbio de Turim, atraiu centenas de jovens para sua capela e seus sermões à tarde, e reabriu uma casa de pensão com sua mãe para aprendizes, seguido de uma pequena oficina de aprendizagem, onde ensinava vários ofícios aos jovens. Fundou então uma ordem para prestar esses serviços e a colocou sob a proteção de São Francisco de Salles, chamando-a de "Ordem dos Salesianos." Isto foi seguido em breve por uma congregação similar para as mulheres chamada de "Filhas de Maria Auxiliadora" fundada por Santa Maria Mazzarelo, popularmente conhecida como as salesianas. Na época de sua morte em 1888, a congregação tinha cerca de 1000 padres e 900 freiras. Papa Pio XI declarou por ocasião de sua canonização em 1934: "Em sua vida, o supernatural tornou-se quase natural e o extraordinário, ordinário". Ele teria tido uma visão do que seria, o que hoje conhecemos como a cidade de Brasília e é o padroeiro de cidade. Afirma-se que a invocação de Maria como título de Auxiliadora teve um impulso enorme com Dom Bosco. Escreveu o santo: "A festa de Maria Auxiliadora deve ser o prelúdio da festa eterna que deveremos celebrar todos juntos um dia no Paraíso". Dom Bosco faleceu em 31 de janeiro de 1888.
Nasceu em 325 em Roma de uma família rica e nobre. Ela conheceu Santo Athanasius quando ainda era uma criança e ficou fascinada pelas suas historias da austeridade e ascetismo dos monges egípcios. Mais tarde ela se casou para satisfazer seus pais mas ficou viúva sete meses depois. Mais tarde ela recusou propostas de casamento do Cônsul Cereallis, tio de Gallus Caesar. Ela se dedicou aos trabalhos de caridade e o seu palácio na Colina Aventine se tornou o centro de reuniões dos cristãos. Em volta dela se formou um grupo de senhoras nobres de desejava viver uma vida de austeridade e ascetismo. Entre eles se incluíam Marcellina, seus irmãos Ambrósio e Satyrus, Fabiola, Asella, Lea e Paula com suas filhas. Marcella era um notável exemplo para suas filhas espirituais: ela sempre abstinha-se de vinho e carne, passava seu tempo em leituras das escrituras, orando e visitando as igrejas dos apóstolos e mártires, e nunca falava com um homem, quando sozinha. Marcela recebeu São Jeronimo quando este chegou em Roma e ele ficou três anos com ela, guiando sua escola/mosteiro para devotas que ensinava jovens no estudo das escrituras e orações. Marcella converteu inúmeras almas a cristandade e era uma mulher de grande habilidade intelectual, e não tinha medo de se confrontar com o mestre Jerônimo. Quando os Goths invadiram Roma em 410, o Rei Alarico ordenou que ela fosse presa e torturada para força-la a revelar o local dos seus tesouros, os quais ela já havia dado aos pobres. Marcella foi açoitada impiedosamente sem reclamar, mas pediu para que poupassem sua aluna de nome Princípia. Ela foi finalmente solta mas, não resistiu aos ferimentos, vindo a falecer nos braços de Princípia em Agosto de 410 DC. Santa Marcella se correspondia freqüentemente com o seu Diretor Espiritual, São Jeronimo, o qual respondia suas perguntas sobre questões espirituais, e ele passou a respeita-la e referia-se a ela com " a gloria das damas romanas ". Onze das sua cartas à Santa Marcella sobreviveram ao tempo e estão guardada na Biblioteca do Vaticano. Sua festa é celebrada no dia 31 de janeiro.