Santo

São Cirilo e São Metódio nasceram em Tessalônica, Grécia, nos meados do século 9. Eram irmãos e são chamados de Apóstolos dos Eslavos. Cirilo, às vezes chamado de Constantino, era um padre e Metódio, um monge. Cirilo estudou em Constantinopla e tornou-se professor e Metódio serviu na região Eslava e entrou para um monastério. Em 861 eles foram enviados pelo Imperador Michael (842-867) para converterem os Kzares na Rússia e subseqüentemente foram despachados para Morávia ( uma região na Europa Central ao leste de Bohemia) a pedido do príncipe Ratislav, para trabalhar entre o seu povo. Cirilo e Metódio falavam fluentemente a língua eslava. Eles também conheciam o alfabeto chamado glagolithic que hoje é chamado Cirílico (em homenagem a São Cirilo) e assim iniciaram a literatura Eslava. A nova linguagem e o seu sucesso trouxe inimigos na Alemanha. O Papa Nicolau I (858-867) os chamou de volta, mas ele morreu enquanto estavam viajando para Roma. Assim eles compareceram ante o Papa Adriano II (867-872) o qual aprovou a sua missão e o uso do Eslavo na Liturgia. Cirilo faleceu em 14 de fevereiro de 869 foi enterrado na Igreja de São Clemente. Metódio foi consagrado Bispo e fundou a Diocese de Morávia e de Pannonia. Ele tornou-se Arcebispo de Velebrod (uma área da moderna Eslováquia ou República Checa). Devido a ambição dos bispos germanos em 874 Metódio foi deposto e aprisionado pelo Rei Luis, o alemão (843-876) e foi solto anos mais tarde atendendo ao apelo do Papa João VIII (872-882). Chamado a Roma, Metódio teve que se defender de acusações de práticas não ortodoxas. Ele teria omitido na sua tradução do Credo, a palavra Filho (filioque) o que na época não havia sido introduzida em todo o Ocidente e nem mesmo em Roma. Ele convenceu ao Papa que ele era Ortodoxo e ele renovou sua permissão para continuar usando a língua Eslava na Liturgia. Metódio finalmente retornou a Constantinopla e terminou a tradução das sagradas escrituras que havia iniciado com Cirilo e iniciou o uso do eslavo na Missa e nas cerimônias públicas. Metódio faleceu em 4 de abril de 885 e o Papa João Paulo II , em 31 de dezembro de 1980, proclamou ambos co-padoeiros da Europa junto com São Benedito. Cirilo e Metódio são patronos da antiga Iugoslávia e da antiga Checoslováquia.
Conhecido tambem como São Maro of Beit e São Marun Um eremita que vivia perto do Rio Orontes em Cyrrhus, geralmente ao relento sem nenhum abrigo. Quando ele encontrou um templo pagão ele o dedicou a Deus e fez dele o seu Oratório. Foi ordenado em 405 DC. Passava suas noites em preces.Tinha o dom da cura das doenças e dos vícios, assim centenas o procuravam para serem curados. Diz a tradição que curava varias doenças apenas com sua benção e oração. Como São Maron curava todos os vícios multidões, iam até ele. Fundou vários monastérios e treinou vários monges na Síria. Foi um amigo de São João Chrysóstomo. São João Chrysostomo o chamava de “boca de ouro”. Chrysóstomo tornou-se Patriarca de Constantinopla em 397 e dedicou sua 36º Epistola a São Maron enquanto estava exilado em Cucussus, Armenia em torno de 405DC, e em suas cartas pedia a São Maron que orasse por ele. Foi o conselheiro de São James de Cyr, o qual recebeu seu hábito das mãos de São Maron. Os cristãos da Igreja do Líbano e da Síria são chamados de maronistas ( Igreja Maronita- um rito da Igreja Católica)e tem esse nome derivado de seu Monastério Bait-Marun e tomam São Maron como seu patriarca e padroeiro. Faleceu em 435 de causas naturais, foi enterrado entre Apamea e Mesa onde um Mosteiro foi construído em volta de sua tumba. Seu túmulo tornou-se um local de peregrinação e vários milagres foram creditados a sua intercessão. Em 1490 as relíquias de São Maron foram trasladadas para um lindo santuário na Catedral de Volperino em Foligno, ao lado de uma estátua do santo em prata. Sua festa é celebrada no dia 14 de fevereiro. É padroeiro dos maronitas, da cidade de Volperino, Itália e da Congregação de Saint Maron em Brooklin, Nova York.