Início » Liturgia

Liturgia


6ª-FEIRA DA 33ª SEMANA - TEMPO COMUM

Peguei o livrinho e comi-o.
Leitura do Livro do Apocalipse de São João 10, 8-11
Aquela mesma voz do céu, que eu, João, já tinha ouvido, tornou a falar comigo: 'Vai. Pega o livrinho aberto da mão do anjo que está de pé sobre o mar e a terra. '
Eu fui até ao anjo e pedi que me entregasse o livrinho. Ele me falou: 'Pega e come. Será amargo no estômago, mas na tua boca, será doce como mel'.
Peguei da mão do anjo o livrinho e comi-o. Na boca era doce como mel, mas quando o engoli, meu estômago tornou-se amargo.
Então ele me disse: 'Deves profetizar ainda contra outros povos e nações, línguas e reis'.
Palavra do Senhor.
Como é doce ao paladar vossa palavra, ó Senhor!
Seguindo vossa lei me rejubilo / muito mais do que em todas as riquezas.
R.
Minha alegria é a vossa Aliança, / meus conselheiros são os vossos mandamentos.
R.
A lei de vossa boca, para mim, / vale mais do que milhões em ouro e prata.
R.
Como é doce ao paladar vossa palavra, / muito mais doce do que o mel na minha boca!
R.
Vossa palavra é minha herança para sempre, / porque ela é que me alegra o coração!
R.
Abro a boca e aspiro largamente, / pois estou ávido de vossos mandamentos.
R.
Fizestes da casa de Deus um antro de ladrões.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas 19, 45-48
Naquele tempo:
Jesus entrou no Templo e começou a expulsar os vendedores.
E disse: 'Está escrito: 'Minha casa será casa de oração'. No entanto, vós fizestes dela um antro de ladrões. '
Jesus ensinava todos os dias no Templo. Os sumos sacerdotes, os mestres da Lei e os notáveis do povo procuravam modo de matá-lo.
Mas não sabiam o que fazer, porque o povo todo ficava fascinado quando ouvia Jesus falar.
Palavra da Salvação.

DEDICAÇÃO DAS BASÍLICAS DE SÃO PEDRO E DE SÃO PAULO, APÓSTOLOS - SANTORAL

Em seguida, fomos para Roma.
Leitura dos Atos dos Apóstolos 28, 11-16. 30-31
Depois de três meses, embarcamos num navio alexandrino, que passara o inverno na ilha de Malta e tinha como emblema os Dióscuros.
Fizemos escala em Siracusa e aí permanecemos três dias.
Depois, costeando, chegamos a Régio. No dia seguinte, levantou-se o vento sul e, em dois dias, chegamos a Putéoli.
Aí encontramos alguns irmãos que nos pediram para ficar sete dias com eles. Em seguida, fomos para Roma.
Os irmãos de Roma, informados a nosso respeito, vieram receber-nos no Foro Âpio e Três Tabernas. Ao vê-los, Paulo deu graças a Deus e sentiu-se animado.
Quando entramos em Roma, Paulo recebeu permissão para morar em casa particular, com um soldado que o vigiava.
Paulo morou dois anos numa casa alugada. Ele recebia todos os que o procuravam,
pregando o Reino de Deus. Com toda a coragem e sem obstáculos, ele ensinava as coisas que se referiam ao Senhor Jesus Cristo.
Palavra do Senhor.
O Senhor fez conhecer seu poder salvador, e às nações sua justiça.
Cantai ao Senhor Deus um canto novo, / porque ele fez prodígios! / Sua mão e o seu braço forte e santo / alcançaram-lhe a vitória.
R.
O Senhor fez conhecer a salvação, / e às nações, sua justiça; recordou o seu amor sempre fiel / 3bpela casa de Israel.
R.
Os confins do universo contemplaram / a salvação do nosso Deus. Aclamai o Senhor Deus, ó terra inteira, / alegrai-vos e exultai!
R.
Cantai salmos ao Senhor ao som da harpa / e da cítara suave!Aclamai, com os clarins e as trombetas, / ao Senhor, o nosso Rei!
R.
Manda-me ir ao teu encontro,
caminhando sobre a água.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus 14, 22-33
Depois da multiplicação dos pães,
Jesus mandou que os discípulos entrassem na barca e seguissem, à sua frente, para o outro lado do mar, enquanto ele despediria as multidões.
Depois de despedi-las, Jesus subiu ao monte, para orar a sós. A noite chegou, e Jesus continuava ali, sozinho.
A barca, porém, já longe da terra, era agitada pelas ondas, pois o vento era contrário.
Pelas três horas da manhã, Jesus veio até os discípulos, andando sobre o mar.
Quando os discípulos o avistaram, andando sobre o mar, ficaram apavorados, e disseram: 'É um fantasma'. E gritaram de medo.
Jesus, porém, logo lhes disse: 'Coragem! Sou eu. Não tenhais medo!'
Então Pedro lhe disse: 'Senhor, se és tu, manda-me ir ao teu encontro, caminhando sobre a água. '
E Jesus respondeu: 'Vem!' Pedro desceu da barca e começou a andar sobre a água, em direção a Jesus.
Mas, quando sentiu o vento, ficou com medo e começando a afundar, gritou: 'Senhor, salva-me!'
Jesus logo estendeu a mão, segurou Pedro, e lhe disse: 'Homem fraco na fé, por que duvidaste?'
Assim que subiram no barco, o vento se acalmou.
Os que estavam no barco, prostraram-se diante dele, dizendo: 'Verdadeiramente, tu és o Filho de Deus!'
Palavra da Salvação.