Liturgia

3ª-FEIRA DA 9ª SEMANA - TEMPO COMUM

Esperamos novos céus e uma nova terra.
Leitura da Segunda Carta de São Pedro 3, 12-15a. 17-18
Caríssimos:
Esperais com anseio a vinda do Dia de Deus, quando os céus em chama se vão derreter, e os elementos, consumidos pelo fogo, se fundirão?
O que nós esperamos, de acordo com a sua promessa, são novos céus e uma nova terra, onde habitará a justiça.
Caríssimos, vivendo nesta esperança, esforçai-vos para que ele vos encontre numa vida pura e sem mancha e em paz.
Considerai também como salvação a longanimidade de nosso Senhor.
Vós, portanto, bem-amados, sabendo disto com antecedência, precavei-vos, para não suceder que, levados pelo engano destes ímpios, percais a própria firmeza.
Antes procurai crescer na graça e no conhecimento de nosso Senhor e salvador Jesus Cristo. A ele seja dada a glória, desde agora, até ao dia da eternidade. Amém.
Palavra do Senhor.
Ó Senhor, vós fostes sempre um refúgio para nós!
Já bem antes que as montanhas fossem feitas / ou a terra e o mundo se formassem, / desde sempre e para sempre vós sois Deus.
R.
Vós fazeis voltar ao pó todo mortal, / quando dizeis: 'Voltai ao pó, filhos de Adão!'Pois mil anos para vós são como ontem, / qual vigília de uma noite que passou.
R.
Pode durar setenta anos nossa vida, / os mais fortes talvez cheguem a oitenta; / a maior parte é ilusão e sofrimento: / passam depressa e também nós assim passamos.
R.
Saciai-nos de manhã com vosso amor, / e exultaremos de alegria todo o dia!Manifestai a vossa obra a vossos servos, / e a seus filhos revelai a vossa glória!
R.
Dai a César o que é de César,
e a Deus o que é de Deus.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Marcos 12, 13-17
Naquele tempo:
As autoridades mandaram alguns fariseus e alguns partidários de Herodes, para apanharem Jesus em alguma palavra.
Quando chegaram, disseram a Jesus: 'Mestre, sabemos que tu és verdadeiro, e não dás preferência a ninguém. Com efeito, tu não olhas para as aparências do homem, mas ensinas, com verdade, o caminho de Deus. Dize-nos: É lícito ou não pagar o imposto a César? Devemos pagar ou não?'
Jesus percebeu a hipocrisia deles, e respondeu: 'Por que me tentais? Trazei-me uma moeda para que eu a veja. '
Eles levaram a moeda, e Jesus perguntou: 'De quem é a figura e a inscrição que está nessa moeda?' Eles responderam: 'É de César. '
Então Jesus disse: 'Dai, pois, a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus. ' E eles ficaram admirados com Jesus.
Palavra da Salvação.

SÃO MARCELINO E SÃO PEDRO, MÁRTIRES - SANTORAL

Como moribundos, embora vivamos.
Leitura da Segunda Carta de São Paulo aos Coríntios 6, 4-10
Irmãos:
Em tudo nos recomendamos como ministros de Deus, com muita paciência, em tribulações, em necessidades, em angústias,
em açoites, em prisões, em tumultos, em fadigas, em insônias, em jejuns,
em castidade, em compreensão, em longanimidade, em bondade, no Espírito Santo, em amor sincero,
em palavras verdadeiras, no poder de Deus, em armas de justiça, ofensivas e defensivas,
em honra e desonra, em má ou boa fama; considerados sedutores, sendo, porém, verazes;
como desconhecidos, sendo porém, bem conhecidos; como moribundos, embora vivamos; como castigados mas não mortos;
como aflitos mas sempre alegres; como pobres mas enriquecendo muitos; como quem nada possui, mas tendo tudo.
Palavra do Senhor.
Nossa alma como um pássaro escapou do laço que lhe armara o caçador.
Se o Senhor não estivesse ao nosso lado, / quando os homens investiram contra nós, com certeza nos teriam devorado / no furor de sua ira contra nós.
R.
Então as águas nos teriam submergido, / a correnteza nos teria arrastado, e então, por sobre nós teriam passado / essas águas sempre mais impetuosas.
R.
O laço arrebentou-se de repente, / e assim nós conseguimos libertar-nos. O nosso auxílio está no nome do Senhor, / do Senhor que fez o céu e fez a terra!
R.
Para que eles sejam um assim como nós somos um
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo escrito por João 17, 11b-19
Naquele tempo: Jesus ergueu os olhos ao céu e disse:
'Pai santo, guarda-os em teu nome, o nome que me deste, para que eles sejam um assim como nós somos um.
Quando eu estava com eles, guardava-os em teu nome, o nome que me deste. Eu guardei-os e nenhum deles se perdeu, a não ser o filho da perdição, para se cumprir a Escritura.
Agora, eu vou para junto de ti, e digo estas coisas, estando ainda no mundo, para que eles tenham em si a minha alegria plenamente realizada.
Eu lhes dei a tua palavra, mas o mundo os rejeitou, porque não são do mundo, como eu não sou do mundo.
Não te peço que os tires do mundo, mas que os guardes do Maligno.
Eles não são do mundo, como eu não sou do mundo.
Consagra-os na verdade; a tua palavra é verdade.
Como tu me enviaste ao mundo, assim também eu os enviei ao mundo.
Eu me consagro por eles, a fim de que eles também sejam consagrados na verdade'.
Palavra da Salvação.