Início » Liturgia

Liturgia


4ª-FEIRA DA 10ª SEMANA - TEMPO COMUM

Ele é que nos tornou capazes
de exercer o ministério de uma aliança nova.
Esta não é uma aliança da letra, mas do Espírito.
Leitura da Segunda Carta de São Paulo aos Coríntios 3, 4-11
Irmãos:
É por Cristo que temos tal confiança perante Deus,
não porque sejamos capazes por nós mesmos, de ter algum pensamento, como de nós mesmos, mas essa nossa capacidade vem de Deus.
Ele é que nos tornou capazes de exercer o ministério de uma aliança nova. Esta não é uma aliança da letra, mas do Espírito. Pois a letra mata, mas o Espírito comunica a vida.
Se o ministério da morte, gravado em pedras com letras, foi cercado de tanta glória, que os israelitas não podiam fitar o rosto de Moisés, por causa do seu fulgor, ainda que passageiro,
quanto mais glorioso não será o ministério do Espírito?
Pois, se o ministério da condenação foi glorioso, muito mais glorioso há de ser o ministério ao serviço da justificação.
Realmente, em comparação com uma glória tão eminente, já não se pode chamar glória o que então tinha sido glorioso.
Pois, se o que era passageiro foi marcado de glória, muito mais glorioso será o que permanece.
Palavra do Senhor.
Santo é o Senhor nosso Deus!
Exaltai o Senhor nosso Deus, / e prostrai-vos perante seus pés, / pois é santo o Senhor nosso Deus!
R.
Eis Moisés e Aarão entre os seus sacerdotes. / E também Samuel invocava seu nome, / e ele mesmo, o Senhor, os ouvia.
R.
Da coluna de nuvem falava com eles. / E guardavam a lei e os preceitos divinos, / que o Senhor nosso Deus tinha dado.
R.
Respondíeis a eles, Senhor nosso Deus, / porque éreis um Deus paciente com eles, / mas sabíeis punir seu pecado.
R.
Exaltai o Senhor nosso Deus, / e prostrai-vos perante seu monte, / pois é santo o Senhor nosso Deus!
R.
Aquele que praticar e ensinar os mandamentos,
este será considerado grande.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 5, 17-19
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos:
Não penseis que vim abolir a Lei e os Profetas. Não vim para abolir, mas para dar-lhes pleno cumprimento.
Em verdade, eu vos digo: antes que o céu e a terra deixem de existir, nem uma só letra ou vírgula serão tiradas da Lei, sem que tudo se cumpra.
Portanto, quem desobedecer a um só destes mandamentos, por menor que seja, e ensinar os outros a fazerem o mesmo, será considerado o menor no Reino dos Céus. Porém, quem os praticar e ensinar será considerado grande no Reino dos Céus.
Palavra da Salvação.

BV. JOSÉ DE ANCHIETA, PRESB. - SANTORAL

Ai de mim se eu não pregar o evangelho!
Leitura da Primeira Carta de São Paulo aos Coríntios 9, 16-19. 22-23
Irmãos:
Pregar o evangelho não é para mim motivo de glória. É antes uma necessidade para mim, uma imposição. Ai de mim se eu não pregar o evangelho!
Se eu exercesse minha função de pregador por iniciativa própria, eu teria direito a salário. Mas, como a iniciativa não é minha, trata-se de um encargo que me foi confiado.
Em que consiste então o meu salário? Em pregar o evangelho, oferecendo-o de graça, e sem usar os direitos que o evangelho me dá.
Assim, livre em relação a todos, eu me tornei escravo de todos, a fim de ganhar o maior número possível.
Com os fracos, eu me fiz fraco, para ganhar os fracos. Com todos, eu me fiz tudo, para certamente salvar alguns.
Por causa do evangelho eu faço tudo, para ter parte nele.
Palavra do Senhor.
O Senhor fez conhecer seu poder salvador, e às nações sua justiça.
Ou: Os confins do universo contemplaram a salvação do nosso Deus.
Cantai ao Senhor Deus um canto novo, / porque ele fez prodígios! / Sua mão e o seu braço forte e santo / alcançaram-lhe a vitória.
R.
O Senhor fez conhecer a salvação, / e às nações, sua justiça; recordou o seu amor sempre fiel pela casa de Israel.
R.
Os confins do universo contemplaram / a salvação do nosso Deus. Aclamai o Senhor Deus, ó terra inteira, / alegrai-vos e exultai!
R.
Cantai salmos ao Senhor ao som da harpa / e da cítara suave!Aclamai, com os clarins e as trombetas, / ao Senhor, o nosso Rei!
R.
Assim como tu me enviaste ao mundo,
assim também eu os enviei ao mundo.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo João 17, 11b. 17-23
Naquele tempo, Jesus ergueu os olhos para o céu e rezou dizendo:
Pai santo, guarda-os em teu nome, o nome que me deste, para que eles sejam um assim como nós somos um.
Consagra-os na verdade; a tua palavra é verdade.
Como tu me enviaste ao mundo, assim também eu os enviei ao mundo.
Eu me consagro por eles, a fim de que eles também sejam consagrados na verdade.
Eu não te rogo somente por eles, mas também por aqueles que vão crer em mim pela sua palavra;
para que todos sejam um como tu, Pai, estás em mim e eu em ti, e para que eles estejam em nós, a fim de que o mundo creia que tu me enviaste.
Eu dei-lhes a glória que tu me deste, para que eles sejam um, como nós somos um:
eu neles e tu em mim, para que assim eles cheguem à unidade perfeita e o mundo reconheça que tu me enviaste e os amaste, como me amaste a mim.
Palavra da Salvação.