Início » Liturgia

Liturgia


6ª-FEIRA DA 17ª SEMANA - TEMPO COMUM

Estas são as solenidades do Senhor,
nas quais convocareis santas assembléias.
Leitura do Livro do Levítico 23, 1. 4-11. 15-16. 27. 34b-37
O Senhor falou a Moisés, dizendo:
'São estas as solenidades do Senhor em que convocareis santas assembléias no devido tempo:
No dia catorze do primeiro mês, ao entardecer, é a Páscoa do Senhor.
No dia quinze do mesmo mês é a festa dos ázimos, em honra do Senhor. Durante sete dias comereis pães ázimos.
No primeiro dia tereis uma santa assembléia, não fareis nenhum trabalho servil;
oferecereis ao Senhor sacrifícios pelo fogo durante sete dias. No sétimo dia haverá uma santa assembléia, e não fareis também nenhum trabalho servil'.
O Senhor falou a Moisés, dizendo:
'Fala aos filhos de Israel e dize-lhes: Quando tiveres entrado na terra que vos darei, e tiverdes feito a colheita, levareis ao sacerdote um feixe de espigas como primeiros frutos da vossa colheita.
O sacerdote elevará este feixe de espigas diante do Senhor, para que ele vos seja favorável: e fará isto no dia seguinte ao sábado.
A partir do dia seguinte ao sábado, desde o dia em que tiverdes trazido o feixe de espigas para ser apresentado, contareis sete semanas completas.
Contareis cinqüenta dias até o dia seguinte ao sétimo sábado, e apresentareis ao Senhor uma nova oferta.
O décimo dia do sétimo mês é o dia da Expiação. Nele tereis uma santa assembléia, jejuareis e oferecereis ao Senhor um sacrifício pelo fogo.
No dia quinze deste sétimo mês, começa a festa das Tendas, que dura sete dias, em honra do Senhor.
No primeiro dia haverá uma santa assembléia e não fareis nenhum trabalho servil.
Durante sete dias oferecereis ao Senhor sacrifícios pelo fogo. No oitavo dia tereis uma santa assembléia, e oferecereis ao Senhor um sacrifício pelo fogo. É dia de reunião festiva: não fareis nenhum trabalho servil.
Estas são as solenidades do Senhor, nas quais convocareis santas assembléias para oferecer ao Senhor sacrifícios pelo fogo, holocaustos e oblações, vítimas e libações, cada qual no dia prescrito'.
Palavra do Senhor.
Exultai no Senhor nossa força.
Cantai salmos, tocai tamborim, / harpa e lira suaves tocai!Na lua nova soai a trombeta, / na lua cheia, na festa solene!
R.
Porque isto é costume em Jacó, / um preceito do Deus de Israel; uma lei que foi dada a José, quando o povo saiu do Egito.
R.
Em teu meio não exista um deus estranho / nem adores a um deus desconhecido!Porque eu sou o teu Deus e teu Senhor, que da terra do Egito te arranquei.
R.
Não é ele o filho do carpinteiro?
Então, de onde lhe vem tudo isso?
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 13, 54-58
Naquele tempo:
Dirigindo-se para a sua terra, Jesus ensinava na sinagoga, de modo que ficavam admirados. E diziam: 'De onde lhe vem essa sabedoria e esses milagres?
Não é ele o filho do carpinteiro? Sua mãe não se chama Maria, e seus irmãos não são Tiago, José, Simão e Judas?
E suas irmãs não moram conosco? Então, de onde lhe vem tudo isso?'
E ficaram escandalizados por causa dele. Jesus, porém, disse: 'Um profeta só não é estimado em sua própria pátria e em sua família!'
E Jesus não fez ali muitos milagres, porque eles não tinham fé.
Palavra da Salvação.

SÃO PEDRO CRISÓLOGO, BISPO E DOUTOR DA IGREJA - SANTORAL

Anunciar aos pagãos
a insondável riqueza de Cristo.
Leitura da Carta de São Paulo aos Efésios 3, 8-12
Irmãos:
Eu, que sou o último de todos os santos, recebi esta graça de anunciar aos pagãos a insondável riqueza de Cristo
e de mostrar a todos como Deus realiza o mistério desde sempre escondido nele, o criador do universo.
Assim, doravante, as autoridades e poderes nos céus conhecem, graças à Igreja, a multiforme sabedoria de Deus,
de acordo com o desígnio eterno que ele executou em Jesus Cristo, nosso Senhor.
Em Cristo nós temos, pela fé nele, a liberdade de nos aproximarmos de Deus com toda a confiança.
Palavra do Senhor.
Ó Senhor, ensinai-me os vossos mandamentos!
Como um jovem poderá ter vida pura? / Observando, ó Senhor, vossa palavra.
R.
De todo o coração eu vos procuro, / não deixeis que eu abandone a vossa lei!
R.
Conservei no coração vossas palavras, / a fim de eu não peque contra vós.
R.
Ó Senhor, vós sois bendito para sempre; / os vossos mandamentos ensinai-me!
R.
Com meus lábios, ó Senhor, eu enumero / os decretos que ditou a vossa boca.
R.
Seguindo vossa lei me rejubilo / muito mais do que em todas as riquezas.
R.
A boca fala do que o coração está cheio.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas 6, 43-45
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos:
'Não existe árvore boa que dê frutos ruins, nem árvore ruim que dê frutos bons.
Toda árvore é reconhecida pelos seus frutos. Não se colhem figos de espinheiros, nem uvas de plantas espinhosas.
O homem bom tira coisas boas do bom tesouro do seu coração. Mas o homem mau tira coisas más do seu mau tesouro, pois sua boca fala do que o coração está cheio'.
Palavra da Salvação.